quinta-feira, 12 de julho de 2012

Café


Uma das coisas que mais curto é parar tudo para tomar um café. Café combina com conversa fida, com dias frios, com encontros, com paisagens mineiras, com pausa no trabalho, com pão, torradas e pão de queijo. Aqui em casa nunca faço café só para mim, acho triste. Então o pó sempre vence e ainda não sou um ser tão evoluído a ponto de acordar antes do marido, às seis da madrugada, para passar um cafézin quentin.

Sou avessa à capucinos, expressos e misturas exóticas. Café tem que ser simples, puro ou com açúcar, não suporto adoçante no café.

Dia desses experimentei um café passado no coador de pano no Pelé Arena Café e Futebol. Paguei 5 pilas pelo café que é servido no maior charme mineiro. Os baristas que me perdoem, sei que nunca devemos usar água fervente para passar o café, mas para o meu paladar de pobre café tem que ser pelando.





O mundo é bão.

6 comentários:

Rose disse...

Keila, quero um destes!!!!! E facil encontrar?

Vnardella disse...

Que coincidência, acabei de almoçar no Café Pelé, mas aqui de São Paulo...delícia!

Lilian disse...

Café com leite condensado!

LU disse...

café ahhhh amoooo, café com creme, capuccino, puro, mas não tomo até março do ano que vem, depois nunca mais prometo nao tomar café rsrs
beijocas

Rose disse...

Obrigada Keila..vou voltar com uns destes.....vao fazer o maior sucesso aqui em casa ja que ninguem conhece este metodo de fazer cafe! Amei!!

Larissa Banister disse...

Adoro um café assim de cafeteria, bem gostoso, cheio de frescuras e chantilly. Beijos