domingo, 14 de outubro de 2012

"Num mundo cheio de preás"



Terminei ontem de ler "Vidas Secas" de Graciliano Ramos. Impressionante como um livro publicado em 1938 pode ser tão atual: Graciliano vai desvendando a alma dos personagens, mostrando o que cada um trás por dentro ao fugirem do destino ruim da seca e da pobreza. 

"O sertão continuaria a mandar gente para lá. O sertão mandaria para a cidade homens fortes e brutos, como Fabiano, sinha Vitória e os dois meninos."

Apaixonei-me pela cachorra Baleia e como muitas pessoas que já leram a obra foi o capítulo que mais gostei. Sempre disse que cachorro é gente e por muitas vezes melhor de que muita gente e o capítulo "Baleia" confirmou-me a certeza de meus devaneios.


4 comentários:

Cristiano disse...

A balieia é o unico personagem que tem nome...

Qd um professor me disse isso nunca entendi o porque!?

LU disse...

Amei este livro! da Baleia nunca esqueci, também estou meio sertaneja rsrs ontem ainda li um trecho de Morte e Vida Severina!
beijocas

Ívian Ferreira disse...

Esse livro é mesmo excelente. Uma obra que todos os brasileiros deveriam ler. Aprecio a forma da escrita e como mostra essa realidade que ainda vemos hj. A baleia era quase gente hehehe
Lemra meu tempo de colégio onde eramos destinados a ler vidas secas.

Bjs

Deinha disse...

É um livro fascinante. Concordo contigo, pois ficção neste caso, é ainda uma realidade. Beijos!